// Postado Por: Alysson Borges //: quinta-feira, 21 de maio de 2015









 Oda e Kishimoto



(O=Oda, K=Kishimoto)
Oda-sensei o que você pensou quando ouviu que Naruto tinha acabado?
O: Então finalmente aconteceu. Eu me senti muito solitário. Mesmo eu já sabendo de antemão, não esperava que fosse vê-lo acabar.
K: Após o fim da série, enviei uma mensagem para Oda-san. Para que nós mantivéssemos contato, não foi nada tão especial. Eu me sentiria constrangido se tivesse exagerado. (risos)
Naruto terminou na edição #50/2014 da Jump, A capa de One Piece e outras informações com elementos de Naruto causou um grande debate.
O: Após o fim da série, o editor de mídia do Kishimoto-san foi meu editor antes disso, então quando o Naruto acabou, ele e eu tínhamos uma ideia do que fazer a respeito.
K: Ah, está explicado. Eu não sabia disso.
O: Mas o editor não me trouxe nada. (risos) Eu pensei em desenhar tudo em relação a Naruto naquela hora.
K: Entendi. Isso não foi fácil.
Na capa, se nós pegarmos todas as primeiras (e segunda) letras do cardápio, e colocarmos juntas, nós teremos a seguinte mensagem “ナルとおつカレ三でした“.
Que significa “Naruto, obrigado pelo bom trabalho.

Easter-Egg-Oda-NarutoX XICAO

O: Eu tinha a intenção de desenhar a Lojinha de Ramem, e porque não esconder informações lá. Se ninguém encontra-se, eu mesmo diria ao Kishimoto-san, mas parece que foi descoberto rápido demais. (risos)
K: Eu não tinha notado na primeira vez que li. Meu irmão me chamou e falou para ler o cardápio atentamente. E eu fiz isso, nossa. (risos)


O: Por outro lado, eu acho que escondi bem, surpreendendo todo mundo que achou.
Os leitores devem ter notado quando viram a “Salada de Rúcula“.
O: Eu olhei para a comida que tinha “ru” (Lu em Luffy), mas não é comum ver isso em um pequeno restaurante. (risos)
K: Falando da capa, o Luffy estava comendo ramem e o Naruto comendo carne, isso foi muito legal.
O: O difícil é fazer o Luffy dividir sua Carne. (risos)
K: Além disso, o título desse capítulo é “SMILE”, que me fez sentir algo. Apesar de ter causado uma grande debate entre os leitores, eu acho que eu sou o único que entendeu aquela felicidade.
O: Inicialmente, não era só na capa, eu planejei esconder algumas coisas Naruto na história principal. No entanto, naquela época, era um flashback sobre Corazón, Luffy não estava nesse. Eu pensei em colocar o símbolo de Naruto no pano de fundo, e colocando as marcas da bochecha do Naruto no rosto do Luffy. Mas quando o Naruto acabou, o flashback ainda não tinha terminado.
K: Ah-ha. (risos) Quando eu vi a capa, pensei que seria uma boa continuar por um pouquinho mais.
No capítulo final de Naruto, Kishimoto-sensei colocou o símbolo dos Chapéus de Palha em Naruto.
O: Ah, isso. Kishimoto entrou em contado comigo e me falou disso (antes da publicação). Ele pediu para tomar posse do símbolo dos Chapéus de Palha como uma pequena pixação. Mas claro, se não fosse causar problemas. Mas no capítulo final de Naruto, eu estava preocupado com os fãs de Naruto pudessem ficar com raiva daquilo.
K: Não foi um problema. (risos) Isso poderia causar uma grande discussão se eu colocasse o símbolo lá.

Naruto-700-Capa-One-Piece homenagem

O: No entanto, eu não esperava que a repercussão fosse ser tão grande. (risos) As pessoas muitas vezes acham que a relação entre diferentes mangakas da mesma revista não pode ser boa por causa da concorrência, o que não é verdade no final das contas, pois somos muito bons amigos.
K: Verdade, de fato, todos nós temos uma boa relação uns com os outros. (risos)
O: Toda a contribuição de Kishimoto-san serviu para deixar a Jump ter uma batalha entre dois mangás ao mesmo tempo.
K: O que você está dizendo?! (sorriso largo)
O: Séries de mangás que têm a mesma estrutura e coexistem na mesma época, facilmente fará com que seus leitores lutem para terem a preferência. Mas o Kishimoto-san evitou bem isso e fez um bom trabalho não se sobrepondo Naruto com One Piece.
Você foi afetado por outro mangá?
K: Não há dúvida de que Akira Toriyama-sensei tem um enorme impacto. Dragon Ball nem precisa falar (que é muito bom), eu gosto de Dr. Slump também. E eu também gosto de Akira do Katsuhiro Otomo-sensei.
O: Quando eu vi pela primeira vez os desenhos do Kishimoto-san, me lembrou das artes coloridas impactante do Otomo-sensei.
K: Ah, você percebeu isso. (risos)
O: Como um mangaka, é fácil dizer vendo seu estilo de desenho e história quem fez essa influência.
K: Para mim, eu fui afetado pelo Dragon Ball em termos de criação de história. Estilo Shonen, desenvolvimento emocionante. Coisas como Goku ter um bebê é a minha favorita. Além disso, o desenho de Toriyama-sensei, e as suas proporções de preto e branco são extraordinário.
O: Mesmo hoje quando eu vejo ele, o desenho de Toriyama-sensei não é à moda antiga no final de contas. Incrível que ele tenha esse excelente design.
Tem outro mangaka que influenciou vocês?
K: Provavelmente muitos designers de animação.
O: Quando estou com Kishimoto-san, sempre ficamos tentando conhecer nomes de muitos designers de animação, dos quais não tínhamos ouvido falar. Quando Naruto virou anime, Kishimoto-san escolheu os produtores de animação ele mesmo, certo?
K: Certo. (risos)
O: Nenhum outro mangaka, exceto o Kishimoto-san, tem esse grande conhecimento sobre animação para fazer isso.
K: Eu sempre questiono se o produtor já foi premiado várias vezes em países estrangeiros como na França. Na verdade, quando eu ainda era um mangaka novato, eu já tinha pensado em pedir para que eu mesmo fosse o produtor se algum dia Naruto vira-se anime. Meu interesse pessoal é uma das razões, pensava nos fãs estrangeiros também para que pudessem começar a gostar de Naruto se o produtor estivesse ativo no exterior.
O: Naruto era popular mundialmente então estava preste a acontecer.
K: Hah, embora naquela época, só eu tinha o pensamento “Será que um dia isso será verdade?”.
O: Agora que o Kishimoto-san falou que era uma coisa impensável, mas naquela época, Naruto começou a ser animado depois de 2-3 anos, o que normalmente um mangaka não pensa assim tão longe. (E o Oda dizendo que isso é uma coisa incrível.)
Como é grandioso ver um sonho ter se realizado. E quem você queria que animasse seu sonho, Oda-sensei?
O: Se eu realmente tivesse que pensar em um, seria o Hayao Miyazaki.
K: Oda-san tem uma originalidade brilhante. Parece que ele não é afetado pelos outros.
O: Provavelmente foi pois eu fui um garoto normal que lia muitos mangás. Agora o que eu acho disso, não foi nada ruim. Talvez, eu tive sorte de nascer numa época boa quando a Jump estava em sua Era de Ouro. Eu comecei a ler quando estava na idade de aproveitá-la.
K: Isso aí, falou tudo. Histórias sendo desenvolvidas de um modo emocionante. É muito diferente você comprar os volumes fechados e ler os capítulos completos, se você compra uma Jump semanalmente e seguir a série pouco a pouco, você pode apreciá-la profundamente.
O: Nossa geração é a que mais aproveitou a Jump sem preconceitos. (risos)
Kishimoto-sensei, qual personagem ou história de One Piece que você mais gosta?
K: Eu dizendo isso não porque o Oda-san está aqui, mas eu gosto de todos eles. (risos) Já personagens, gosto do Bellamy, tanto a personalidade dele quanto a habilidade. Mas meu favorito é o Chopper. Seu encontro com o Hiluluk e a Neve de Cerejeiras quando ele parte rumo aos mares foi super emocionante.
O: Eu gosto dela também.
K: No entanto, apesar de gostar do Chopper, ele é muito tímido, então ele é mais fraco que o Luffy em muitos aspectos. Por isso eu acho que o Chopper é o “verdadeiro líder”. (risos)
O que faz você pensar assim?
K: Hmm… Deixa eu pensar. Luffy é o protagonista, um personagem adorado, mas isso é o porquê do Chopper existir. Eu quero dizer que os dois geraram um efeito multiplicador. (Nos Chapéus de Palha) essa presença e atmosfera, na verdade o Chopper desempenha um papel importante no bando. Mesmo ele sendo bonitinho, ele é um monstro.
O: Chopper está tramando algo de mal pelas costas de todo mundo… Pare com isso, que absurdo. (risos) Deixe-me contar-lhe um segredo. Chopper cresceu em um ambiente doloroso, eu tentando torná-lo um personagem principalmente engraçado, renas andando com duas pernas. Mas o Luffy e seus primeiros amigos eram bem populares, eu não conseguia achar um lugar para o Chopper. Se tivesse feito ele como projetei, ele sobressairia sobre os outros personagens (aí as pessoas não poderiam suas particularidades), por isso mesmo, eu acabei o fazendo menor e mais bonitinho. (Isso também é mencionado no Databook Green)
K: Sério? Da minha parte, parei de invejar o Chopper.
O: Você já tinha me falado. (risos)
K: De fato, uma vez eu desenhei um mascote como personagem, desenhei um sapo. Desenhei ele na capa de um volume e edição da Jump… Foi completamente odiado.
O: (risos) Sendo honesto, sempre acontece coisas que não estão nos planos. Comigo, o Chopper foi uma delas. Acontece muito que a forma como a história se desenvolve, na verdade, é diferente do que você pensou que seria quando começou a história.
O: Mas é claro. Falando nisso, aquelas ideias vieram quando eu ainda era um jovem de 20 anos, agora o que está vindo será muito mais interessantes do que aquelas do passado.
K: Sim, isso é verdade de qualquer jeito.
O: Não posso me perder no passado. (risos)
K: Isso porque você tem uma boa quantidade acumulada de termos e ideias com o passa dor anos.
Aliás, há algum aspecto em particular que não é fácil para vocês dois desenharem?
K: Não sou muito bom em desenhar mulheres. Oda-san parece que é bom em tudo.
O: Exato, tudo.
K: Hah, não há muita coisa que eu ache incomodo, mas quando o prazo de envio está se aproximando, eu não consigo desenhar o que tem de ser feito nesse curto espaço de tempo, porque vai faltar emoção, sem falar que há um bom tempo para bolar o que desenhar no início…
O: Realmente. Eu só desenho o que eu quero desenhar.
K: Porque é isso que nos interessa.
O: É muito errado pensar que desenhamos porque esse é o nosso trabalho.
Kishimoto-sensei, sua mini-série de mangá vai começar em 27 de abril.
O: Quantas semanas é que vai ter?
K: O que é que vai ter o quê…
O: Você está brincando comigo?
K: Claro que não. (risos)
O: Quer dizer que você tem 15 anos de experiência, uma mini-série deve ser muito mais fácil. As pessoas ao seu redor estão de olho em você, Kishimoto-san, e você mesmo não está prestando muita atenção nelas. Será muito mais difícil do que você pensou re-começar uma nova série dessa vez.
K: É mesmo?
O: É uma maneira diferente de lançamento semanal como eu estou fazendo.
K: Eu tinha me afastado de lançamento semanal por um bom tempo. Eu sinto que falta um pouco de prática.
O: Além disso, inúmeras pessoas estão olhando o que vem pela frente depois que Naruto terminou, você não pode pegar leve no trabalho.
K: Você está certo.
O: Eu achei que um período de descanso seria uma coisa óbvia.
K: É difícil para um mangaka voltar a trabalhar, mesmo depois de um dia de folga.
O: Eu descansei um pouco no ano novo, foi poucos dias, e mesmo assim senti que minhas mãos estavam se tornando lentas.
K: É assim mesmo. (risos) Eu realmente não consegui desenhar o que estava pensando, e eu usei borracha muitas vezes.
O: (Quando minhas mãos estavam lentas) Eu não consegui desenhar como eu costumava ser (terminá-lo sem editar uma segunda vez)… Ah, o que aconteceu. Pode parecer inacreditável que eu desenhe melhor mesmo quando estou ocupado. (risos) Os humanos desmonstram seu melhor desempenho quando eles estão focados.
Qual é o maior de todos os problemas durante a produção?
K: Quando eu tive dor nas costas.
O: Isso deve ter sido terrível. (risos)
K: Houve uma vez que meu pulmão estava bem, toda vez em que me sentia cansado, eu tossia sem parar como se tivesse com pneumonia, e quando eu começava a tossir, minhas costas voltavam a doer. Foi tão difícil, naquela época por um tempo eu fiz os desenhos a lápis do mangá lá na Jump (por causa da dor). E também cai da escada com tudo…
O: Hein? O que aconteceu antes?
K: Certo, cerca de 3 anos atrás. Quando minha família e eu viajamos durante a primavera, estava sentado numa escada de pedra e em transe, perto de você sabe quem…
O: Aquilo foi perigoso.
Era por causa disso que você estava pensando na história?
K: Nah, Eu estava cansado.
O: Ninguém pensa em uma história com escadas. (risos)
K: Mesmo eu não tenha ficado muito machucado, eu pensei que ia morrer quando caísse. (risos)
O: Se você morresse ali desse jeito, você se tornaria uma lenda.
K: Eu não quero ser uma lenda desse jeito. (risos)
O: Hmm, entendi, ser uma lenda não é tão bom quanto parece. Eu pude pensar “tornar-se uma lenda quando morrer” quando se está prestes a morrer. Eu não quero ter esse tipo de comentários.
K: É como o Vincent Van Gogh, no entanto, com fé e honra, é como uma sensação pós-vida, rezando por ser melhor do que quando ainda era vivo. (risos)
O resto desta entrevista estará incluída no novo livro chamado do Naruto “Michi ” (Estrada de Naruto). Os dois falaram por 4 horas, a entrevista completa terá 13 páginas e será publicada em maio.

Fonte: http://onepiecex.com.br/entrevista-oda-com-kishimoto-parte-2/

Deixe Um Comentario.

Subscribe to Posts | Subscribe to Comments