// Postado Por: Alysson Borges //: sexta-feira, 29 de abril de 2016


Antes de avançarmos ao conteúdo propriamente dito deste artigo, e de modo a que a informação que vamos transmitir seja compreendida da melhor forma, convém esclarecermos certos pontos. Estes são facilmente confundidos, não só devido à escassez de informação mas também pela errada divulgação que existe da mesma.
Refiro-me à distinção praticamente inexistente que é encontrada relativamente a Demografia e Género. Começando pela primeira, podemos encontrar as 5 Principais:
  • Shōnen
  • Seinen
  • Shōjo
  • Josei
  • Kodomo

demografia é uma etiqueta determinada por uma série de factores, que conjugados nos revelam informação relativamente à obra. Não deverão, no entanto, ser consideradas 100% fidedignas. Por exemplo, Shōnen indica uma obra escrita para jovens rapazes como principal audiência, porém não deverá ser concluído que estamos perante uma obra de batalha – o que por norma é a conclusão que se retira. Ou seja, o factor determinante do rótulo demográfico de uma obra não é a sua história, mas sim o local onde é publicada.
– Exemplo:
Se Naruto tal como o conhecemos atualmente, em vez de ter sido editado pela Shōnen Jump tivesse sido editado na Young Jump, então este seria carimbado como Seinen e não como Shōnen, mesmo que o seu conteúdo fosse mais adequado para Shōnen. Por norma este é um trabalho entregue ao editor da obra ou, por vezes, ao editor-chefe da revista em questão. Muitas vezes são eles que decidem onde será o melhor local para publicar cada tipo de história e para que demografias esta conseguirá demonstrar o seu máximo potencial.

Por outro lado, aquilo que define o verdadeiro conteúdo da obra é a etiqueta designada por Género.Esta não só informa o público daquilo que se trata, como também pode ser agregada às demografias em cima descritas. Deste modo vamos conseguir reunir o máximo de informação sobre a narrativa que a obra nos poderá apresentar.
– Exemplo:
Naruto poderá apresentar os géneros de “Batalha”, “Aventura”, “Fantasia”, sob a demografia Shōnen. Daqui podemos retirar que Naruto tem uma história onde um Herói segue uma aventura num mundo fantasioso, onde poderemos encontrar batalhas. Aliada a isto, sabemos que estas temáticas serão todas tratadas com certas restrições uma vez que a demografia determinante é Shōnen.

Tudo isto é bem mais alargado que esta simples abordagem. Os factores que são manifestados por uma demografia, podem modificar desde estruturas narrativas ao próprio design da obra, para que seja mais apelativo à faixa etária em questão, tendo consequências diretas nas vendas de determinado título. Porém, aqui encontram o necessário para desfrutar da informação que se segue. Em breve iremos abordar este assunto de forma mais aprofundada num artigo isolado criado para o efeito.




Demografias



Shōnen – demografia direcionada primeiramente a pré-adolescentes e adolescentes do sexo masculino. Possui a tendência delineada de ser um tipo de obra onde se batalha por um objetivo, seja este algo literal ou metafórico. O elenco de personagens tende a ser maioritariamente jovem, tal como a personagem principal. Por norma as temáticas abordadas são de pouca complexidade, tendo em conta o público-alvo para o qual são construídas.

Seinen – demografia direcionada primeiramente a adultos do sexo masculino. Possuem a tendência de ser obras que abordam temas que não são aconselháveis a adolescentes. Seja pelo nível de complexidade dos tópicos, seja pela abordagem explícita (por vezes) violenta ou sexual que determinadas matérias exigem, ou pelo desenvolvimento maduro que é dado à narrativa.

Shōjo – demografia direcionada primeiramente a pré-adolescentes e adolescentes do sexo feminino. Por norma a personagem principal é uma adolescente que se apaixona por um rapaz, também ele adolescente. As temáticas são essencialmente focadas nos romances e relações amorosas de um conjunto de personagens exploradas no decorrer de cada episódio.

Josei – demografia direcionada primeiramente a adultos do sexo feminino. Este tipo de obras costuma focar-se na vida normal de uma mulher, ou em temáticas que são naturalmente ligadas a esta na sua fase adulta, como por exemplo: matrimónio, gravidez, ou até mesmo objetivos relacionados com a carreira profissional.

Kodomomuke (Kodomo) – demografia direcionada primeiramente a crianças no geral. Costuma marcar presença em obras de aventura com bons momentos de humor, não fornecendo lugar a acontecimentos capazes de ferirem qualquer tipo de suscetibilidades. Rico em universos com grande diversidade de personagens. Tem como prioridade o prazer e o bem-estar dos mais novos.
 demografias
demografias



Géneros



Ação – este género é caracterizado por temáticas que envolvem confrontos entre personagens e grandes batalhas. Os duelos podem ser dos mais variados estilos consoante o tema que a obra retrata.Ex: Shingeki no Kyojin, Naruto, Bleach

Aventura – associado a produções em que os protagonistas vivem novos desafios e experiências, sozinhos ou acompanhados. As mudanças de local e a descoberta de novos ambientes são frequentes. A narrativa é geralmente progressiva e dinâmica. Ex: One Piece, Magi, Hunter X Hunter

Arte – Este género tem como núcleo narrativo a abordagem de uma ou mais artes, como por exemplo música, desenho, pintura, entre outros. Ex: Beck, Barakamon, Shirobako

Comédia – o objetivo deste género passa por divertir o espetador seja por intermédio de diálogos ou ações das personagens. Costuma marcar presença em simultâneo com vários outros estilos com particular destaque para a ação, a aventura e o romance. O humor pode ser baseado num formato mais geral, capaz de atingir qualquer tipo de público, como também pode ser orientado para a sua cultura de origem, ou seja, o Japão. Ex: Great Teacher Onizuka, Golden Boy, Gintama

Drama – envolve suspense, acontecimentos inesperados e um vasto conjunto de emoções que conseguem mexer com o espetador. Para tal requer uma boa ligação emocional com os personagens, que devem possuir uma caracterização e desenvolvimentos realísticos, genuínos e aprofundados. Coopera com outros estilos, como a aventura, o psicológico e o romance, em particular com este último. Ex: Clannad, Angel Beats, Rainbow

Desporto – obras onde o destaque principal é a prática de um desporto (seja ele qual for) por parte das personagens. Em alguns casos as produções associadas a este género também apresentam um ambiente extrapolado, no sentido em que os praticantes da modalidade em foco também têm habilidades especiais. Ex: Slam Dunk, Hajime no Ippo, Haikyuu!!

Ecchi – caracterizado pela presença de insinuações sexuais, poses sensuais e sugestões de elevado cariz sexual e/ou sensual, contudo sem nunca serem exibidos os órgãos sexuais primários das personagens. Este género é muitas vezes aproveitado como fan serviceEx: Zero no Tsukaima, High School of The Dead, Highschool DxD

Fantasia – género caracterizado pela existência de elementos fora do comum, pelo que normalmente todo o ambiente que rodeia a história é invulgar. Conceito muito associado ao de “magia”, encontramos frequentemente ligado a poderes, mundos extraordinários e monstros, aproveitando-se muitas vezes de conceitos como a Mitologia, a Alquimia, ou História, para criarem um mundo fantástico. Ex: Danmachi, Akagami no Shirayuki-hime, Fairy Tail

Harem – caracterizado por um elevado número de personagens do sexo oposto ao/à protagonista, que tentam conquistá-lo/a ou assumem interesse afetivo no mesmo. As personagens e as ações das mesmas giram, em grande parte, em torno do elo comum: o/a protagonista pelo qual estão interessadas/dos. Ex: Nisekoi, Monster Musume no Iru Nichijou, Ouran Koukou Host Club

Hentai – conteúdo demográfico adulto, estilo equivalente à pornografia real só que em formato anime. Envolve cenas de sexo explícito sem grande desenvolvimento narrativo. Ex: Bible Black, Ai Shimai e Yakin Byoutou

Histórico – este tipo de produções abordam épocas, acontecimentos, personagens, eventos e fenómenos sociais, enquanto se baseiam num mínimo de veracidade histórica, intimamente ligados ao passado. Ex: Rurouni Kenshin, Arslan Senki, Sengoku Muso

Horror – É o medo no seu sentido mais literal, transmitido por algo visual. Em anime/manga anda constantemente de mãos dada com o gore, abordando deste modo cenas passíveis de ferir suscetibilidades. Associado a mutilação de corpos humanos, situações sanguinárias, que são muitas vezes censuradas. Pode, no entanto, existir outras obras de outros géneros que possam utilizar o gorecomo elemento independente do Horror. Ex: Mnemosyne: Mnemosyne no Musume-tachi, Higurashi no Naku Koro ni, Another

Lolicon – género onde as personagens em idade adolescente ou infantil são caracterizados de forma atrativa. Uso recorrente do aspeto fofo e inocente, com acentuação dessas mesmas características. Lolicon dita o género dos intervenientes, neste caso raparigas. Ex: Shugo Chara!, Kamichama Karin, Rozen Maiden

Mecha – género caracterizado pela presença de robôs gigantes equipados com armas e armaduras de alta tecnologia, pilotados pela humanidade. O género ‘Militar’ está quase sempre associado ao ‘Mecha’ cujo ambiente varia entre o bem conhecido planeta Terra e o Espaço. Ex: Mobile Suit Gundam, Aldnoah.Zero, Appleseed

Mistério – As produções enquadradas aqui apresentam um enredo muito bem construído, envolvido num ambiente de dúvida e suspense, podendo estar relacionados sobre a verdadeira identidade de algumas das personagens ou acontecimentos. As peças do puzzle vão sendo encaixadas a pouco e pouco. Ex: Death Note, Baccano!, Detective Conan

Romance – tem como foco as relações amorosas entre personagens. A narrativa é desenvolvida em torno de elementos associados ao tema amor, com um ou mais casais intervenientes. Encontra-se muitas vezes como pano de fundo de outros géneros. Ex: Ore Monogatari, Kareshi Kanojo no Jijou, Golden Time

Sci-Fi – presença de equipamentos tecnológicos, que muitas vezes ainda nem fazem parte do nosso mundo atual. Centro narrativo fortemente ligado à ciência, descobertas tecnológicas e civilizações futuristas. A vanguarda tecnológica está sempre aqui presente. Ex: Neon Genesis Evangelion, Ginga Eiyuu Densetsu e Steins Gate.

Sentai – Este estilo define-se facilmente por super-heróis japoneses. Por norma o Sentai retrata grupos organizados, cuja função é erradicar o mal que se encontra a consumir o planeta. As personagens usam fatos especiais, normalmente coloridos de forma diferente para se identificar cada personagem. Um dos exemplos mais predominantes para identificar este género são os Power Rangers. Ex: Sailor Moon, Samurai Flamenco, Kagaku Ninja-tai Gatchaman

Shotacon – género onde as personagens em idade adolescente ou infantil são caracterizados de forma atrativa. Uso recorrente do aspeto fofo e inocente, com acentuação dessas mesmas características. Shotacon dita o género dos intervenientes, neste caso rapazes. Ex: Kuroshitsuji, Loveless, Pandora Hearts

Slice of Life – obras altamente reais, que acompanham a vida diária de uma ou mais personagens que se assumem como protagonistas da história. Basicamente são uma representação da realidade mundana que pode abordar um ou mais temas a ela ligados, com diferentes graus de profundidade. Como não poderia deixar de ser, as produções deste género incluem tudo o que às nossas vidas diz respeito, como o desporto, o romance, a vida na escola ou mesmo no trabalho. Ex: K-On!!, Bakuman, Chihayafuru

Sobrenatural – obras que incluem a presença elementos anormais, inumanos, sejam eles capacidades, poderes ou criaturas sobrenaturais como espíritos, demónios, aliens e outras semelhantes. Ex: Natsume Yuujinchou San, Soul Eater, Blood Lad

Yaoi –  um género ligado ao romance e que assume todas as suas características, alterando apenas o tipo de relação. Em vez do romance homem-mulher, o cenário muda para uma relação entre dois homens. Trata-se de uma alternativa ao Shōnen-ai, uma vez que o conteúdo visual e narrativo é francamente explícito. Ex: Maiden Rose, Love Stage, Junjou Romantica

Yuri – um género ligado ao romance e que assume todas as suas características, alterando apenas o tipo de relação. Em vez do romance homem-mulher o cenário muda para uma relação entre duas mulheres. Trata-se de uma alternativa ao Shōjo-ai, uma vez que o conteúdo visual e narrativo é francamente explícito. Ex: Aoi Hana, Sasameki Koto, Sakura Trick

generos
 generos


Subgêneros



BiShōnen – este subgénero é particularmente direcionado para o público feminino, independentemente da idade (jovem ou adulta). Aqui o protagonista é tendencialmente um rapaz de atributos físicos demasiado bonitos, atraindo a atenção de homens e mulheres. Os seus traços são muitas vezes semi-femininos e esbeltos. Um estilo que costuma fazer par com as demografias Josei/Shōjo e com o género Slice of Life. Ex Yamato Nadeshiko Shishihenge, Vampire Kight, Diabolik Lovers

BiShōjo (actualmente conhecido como Moe) – este género é particularmente direcionado para o público masculino, independentemente da idade (jovem ou adulta). Aqui a protagonista é tendencialmente uma rapariga de atributos físicos demasiado bonitos, atraindo a atenção de homens e mulheres. Os seus traços são considerados por norma como “fofos”. Um estilo que costuma fazer par com o género Slice of Life. Ex K-On, Kyoukai no Kanata, Sakurasou no Pet na Kanojo

Demónio – trata-se de um subgénero de sobrenatural, e envolve a presença de espíritos malignos, demónios, bruxas, exorcistas. As combinações mais frequentes com este género são a ação e a aventura.Ex: Ga-Rei: Zero, Inuyasha, Hataraku Maou-sama!

Jogo – Subgénero ligado à aventura, tendo por base um jogo onde as personagens participam. A narrativa está geralmente ligada ao mesmo. Ex: Yu-Gi-Oh, Phi Brain, Sword Art Online

Espaço – subgénero de Sci-Fi, onde o ambiente narrativo se encontra do lado exterior ao planeta terra. Seja ele naves de alta tecnologia em ambiente espacial, ou outros planetas. Ex: Sidonia no Kishi, Uchuu Kyoudai e Cowboy Bebop

Super Poderes – subgénero do tipo sobrenatural onde as personagens são detentoras de poderes especiais ou capacidades (físicas e/ou mentais) fora do normal. Ex: Dragon Ball, Darken Than Black, JoJo’s Bizarre Adventure

Vampiros – um estilo descendente do ‘Sobrenatural’. Como o próprio nome indica, enquadra-se nas obras onde vampiros marcam presença. Ex: Hellsing, Owari no Seraph, Blood Lad

Magia – um subgénero da secção sobrenatural, sendo que aqui as habilidades especiais estão mais direcionadas para o próprio nome do estilo, cujas obras associadas podem estar relacionadas com o uso de elementos ditos mágicos. Ex: Fairy Tail, Mahou Shōjo Madoka Magica, Cardcaptor Sakura

Artes Marciais – subgénero desportivo onde se encontra presente, como foco principal ou secundário, um vasto conjunto de cenas de ação protagonizadas pela prática de Artes Marciais, tais como o karaté, o pugilismo e o kendo. Ex: Kenichi Strongest Disciple, Yuu Yuu Hakusho, Ranma 1/2

Exército/Militar – narrativa e personagens principais ligadas ao exército ou elementos alusivos ao mesmo, com o recurso a armas associadas ao estilo e técnicas de combate. Ex: Hetalia, Fullmetal Alchemist, Code Geass

Psicológico – este género cativa e procura explorar as emoções e pensamentos humanos (dos mais leves aos mais pesados), suscitando a atenção e raciocínio de quem o assiste. É um género complexo que aborda temas fortes, e que não deve ser assistido de forma leviana. Ex: Welcome to The NHK, Monster, The Tatami Galaxy

Samurai – subgénero histórico, em que os espadachins reconhecidos e altamente requisitados durante o Período Edo (Guerra Bakumatsu e afins), são peças de destaque na narrativa, sejam eles reais ou ficcionais. Ex: Samurai Champloo, Samurai 7 e Katanagatari

Vida Escolar – a história retrata acontecimentos envolvidos no seio escolar, onde os protagonistas são estudantes e grande parte das situações ocorrem no estabelecimento de ensino. Várias são as etapas escolares, pelo que a maturidade deste tipo de séries depende da idade dos protagonistas e das verdadeiras intensões dos seus criadores. Ex: The Melanchony of Haruhi Suzumiya, School Days, Sakurasou no Pet na Kanojo

Shōjo-ai – um subgénero associado a variados géneros e que assume todas as suas características, alterando apenas o tipo de romance envolvido. Em vez do romance homem-mulher o cenário muda para uma relação lésbica. Ex: Candy Boy, Simoun, Ga-Rei: Zero.

Shōnen-ai – um subgénero associado a variados géneros e que assume todas as suas características, alterando apenas o tipo de romance envolvido. Em vez do romance homem-mulher o cenário muda para uma relação entre dois homens. Ex: Junjou Romantica, Love Stage, No.6








Fonte: ptAnime

Deixe Um Comentario.

Subscribe to Posts | Subscribe to Comments